80% da população pode ter problemas na coluna. Há diversos tipos de alterações que exigem diagnóstico de especialista

Problemas na coluna são muito mais comuns do que se imagina. Podem acometer mais de 80% da população e se dividem em alterações na coluna cervical e lombar.

Segundo o neurocirurgião e médico do Hospital Albert Einstein, Wanderley de Lima, especialista em hérnia de disco e tumores da coluna, a queixa mais comum de “cervicoalgia” (problema na coluna cervical), diz respeito ao músculo que pode estar estirado por causa de má postura no computador, provocada por uso de travesseiro dobrado ou ainda osteoartrite.

80% da população pode ter problemas na coluna

Doutor Wanderley diz que os sintomas são dor prolongada, espasmos rigidez ou dificuldade de mover a cabeça e cefaleia (dor de cabeça).

O médico deve ser procurado quando a dor for intensa, severa e persistente por dias sem melhoras. ssa dor pode irradiar em direção aos braços e pode ser acompanhada por dor de cabeça, adormecimento de membros e formigamento”, orienta ele.

O neurocirurgião ensina que a prevenção vem de adotar boa postura, realizar várias pausas no trabalho, ajustar mesa, cadeira e computador em posições corretas, dormir em boa posição e evitar ter a mania de usar o telefone em apenas um lado (laterização), prendendo-o com os ombros.

“O diagnóstico preciso só pode ser obtido por meio de consulta com um neurologista especialista, que vai analisar os reflexos, avaliar a sensibilidade e a mobilidade da cabeça e do pescoço”, explica doutor Wanderley.

Ele também aconselha que a pessoa passe por exames de imagem. “O médico pode realizar um raio X da coluna cervical, uma tomografia computadorizada, ressonância magnética ou eletroneuromiografia”.

O tratamento pode ser com medicamentos do tipo relaxante muscular e injeção de corticoides; também fisioterapia com várias técnicas diferentes, como aplicação de calor ou gelo e de TENS (estimulação elétrica dos nervos), entre outras.

Em alguns casos, a cirurgia pode ser necessária.

Problemas na coluna lombar

A dor lombar, também chamada de lombalgia, é uma causa frequente de ida ao médico e ausência no trabalho.

“Mas ainda assim é possível prevenir e curar a dor lombar”, diz o neurocirurgião Wanderley de Lima. Os sinais dessa dor são bastante específicos, ensina ele: dor do tipo “facada”; dor que irradia pela perna; dor que se intensifica ao flexionar o tronco ou levantar algum peso.

O tratamento pode também ser feito com medicamentos do tipo antiinfla-matório, anticonvulcionantes, narcóticos e relaxantes musculares.

Também se emprega fisioterapia e cirurgia. A prevenção se dá por meio de exercícios físicos; manutenção do peso ideal; evitar movimentos bruscos; boa postura e evitar levantar peso excessivo.

Não há comprovação de que calçados ou colchões especiais possam aliviar ou eliminar o problema.

Alternativas

A ajuda para aliviar a dor crônica, segundo o neurocirurgião Wanderley de Lima, também pode vir da medicina alternativa, com quiropraxia, acupuntura, massagem e ioga.

O pilates também é um caminho, pois ajuda a manter o equilíbrio e a estabilidade da coluna. “É preciso mudar o estilo de vida, como evitar muito tempo de repouso ou de atividades que provoquem dor”, ressalta o neurocirurgião.

Leia também Atleta de CrossFit foi considerado o 17º homem mais condicionado da América Latina

80% da população pode ter problemas na coluna

Fale com o Dr. Wanderley pelo WhatsApp

Ligue para o Dr. Wanderley aqui

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here