A ilusão do apartamento “decorado”

A ilusão do apartamento “decorado”. Comprou imóvel baseado no “decorado” e se sentiu enganado?

0
142
apartamento ,decorado,oceanicaimoveis, namidia, lucia vale
Crédito da imagem: Oceânica

A ilusão do apartamento “decorado”. Comprou imóvel baseado no “decorado” e se sentiu enganado?

Não raro, a situação parece desesperadora para o comprador que, ao adentrar o seu apartamento pela primeira vez, ao invés de dar pulos de alegria, tem um verdadeiro acesso de fúria ou de indignação.

Bem, estas situações são extremas e um tanto quanto exageradas, mas são totalmente plausíveis, e eu explico o porquê.

Geralmente, na venda de apartamentos na planta, ou mesmo quando a obra já está em fase adiantada, um dos recursos persuasivos para atrair os compradores é a visita ao “decorado”.

As incorporadoras contratam escritórios de arquitetura de renome para decorar com elegância e requinte os apartamentos-tipo, tornando-os irresistíveis e, materializando assim, o sonho possível.

Os apartamentos são tão maravilhosos, amplos, confortáveis e aconchegantes, que cumprem sim, a missão de coadjuvantes de venda com sucesso.

A ilusão do apartamento “decorado”

E você, comprador, vai para casa feliz da vida com sua nova aquisição: o primeiro apartamento, o apartamento maior para a família que cresceu, a oportunidade de investimento etc.

A ilusão do apartamento “decorado”

São muitas histórias envolvidas na compra de um bem cujo valor compromete, muitas vezes, as economias de uma vida.

Eis que chega o momento mais esperado: a vistoria

. É aí que muita gente se sente, mesmo que momentaneamente, enganada – e nem estamos falando aqui de dissabores de contrato, atrasos de obra, dentre outros aborrecimentos.

O engano se refere às dimensões do imóvel: parece pequeno, apertado, atravancado, sem graça, “vazio” (sim, você recebe um imóvel vazio, no contrapiso, com acabamentos bem básicos).

E aquele lindo apartamento que você tem na memória, onde está? Você está nele, mas ele está nu.

Então, seguem aqui umas dicas de como proceder numa situação dessas.

  • Quando assinar o contrato, procure ater-se às letras miúdas que dizem que as medidas reais podem ter um percentual para mais ou para menos em termos de diferença em relação ao projeto.                        Lamento dizer, mas geralmente trata-se de diferença para menos. Contudo, geralmente está dentro do percentual contratual.              Então tenha a consciência disso antes de mais nada.
    – As medidas do “projeto” que você recebe são as medidas “no osso”, ou seja, no jargão da construção, são as medidas sem os acabamentos. Na hora em que os acabamentos são colocados, as medidas das áreas se reduzem ainda mais. Já vá esperando por isso.
  • Não se iluda com o apartamento decorado. Primeiramente porque o decorado, no caso de um apartamento que tenha um cômodo reversível ou um terceiro dormitório, estará sempre ampliado, ou seja, sem algumas paredes e com áreas integradas.                                        Esse recurso já amplia bem a área útil.
  • Os arquitetos ou designers que são contratados para decorar o apartamento de demonstração de vendas são muito experientes em usar de efeitos que ampliam o ambiente apenas visualmente, criando a ilusão de ambientes maiores.

Note que geralmente há o emprego de muitos espelhos, especialmente na sala, aplicados na parede que está de frente à porta de entrada.

Os espelhos duplicam a luz e a profundidade: numa mesa de seis cadeiras, você duas com vê doze.

Uma luminária se torna duas, e assim por diante. As cores, geralmente, são claras e neutras. Se houver alguma cor escura ou forte, ela será pontual apenas.

Há todo um planejamento de iluminação associado ao rebaixo de forro em gesso acartonado.

A iluminação bem planejada, com a escolha das lâmpadas certas para cada função, cria cenários e colabora para o efeito de amplitude associado à sensação de aconchego.

Na prática, seu apartamento vem com um número mínimo de pontos de luz (pontos apenas, sem as luminárias).

Portanto, esteja ciente de que seu apartamento não terá nada disso, pois a decoração não faz parte do “pacote”.

Há ainda o fator qualidade dos acabamentos: as bancadas de pedra, as louças sanitárias, os eletrodomésticos bem posicionados, os móveis planejados: a combinação de todos esses elementos cria uma atmosfera de bem estar que não será entregue a você.

Então, diante disso, é correto usar desse artifício de venda? Isso não é ilegal. Para quem vende, é ótimo.

E é bom também para quem compra no sentido de se “ter uma ideia do potencial futuro do imóvel”.

Pelo decorado, você tem uma noção de como seu apartamento pode ficar, desde que você reserve um percentual de verba para o projeto, para a reforma e para a decoração e contrate um arquiteto ou designer de interiores para planejar e projetar seu futuro lar exatamente ao seu gosto.

Digo isto para que não haja ilusão: seu apartamento será entregue nu. Caberá a você vesti-lo!

No próximo artigo, falaremos de como contratar um profissional para reforma e decoração, se arquiteto ou designer de interiores (qual a especificidade de cada profissional), como e quando deve ser a contratação, como se comportar na fase do projeto e como atuar durante a obra para que tudo fique perfeito!

Leia também Erika Gomes com os grandes profissionais da TV

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here