Emerson Leal – Namoradinha de uma amiga minha. Em seu novo single, NAMORADINHA DE UMA AMIGA MINHA, o cantor, compositor, instrumentista e produtor baiano Emerson Leal atualiza um famoso dilema amoroso cantado nos anos 1960 e dá pistas de uma nova fase em sua carreira.

Trata-se de uma canção que também traz uma confissão de amor impedido, como em “Namoradinha de um amigo meu”, de Roberto Carlos (1966), mas através de um eu lírico que, ao se perceber apaixonado pela namorada de uma amiga, recoloca o problema, não mais nos termos de uma questão moral – moral masculina, erigida sobre o valor da posse (“o que é dos outros não se deve ter”) ou da vaidade social (“nem sei o que eles vão pensar de mim”), mas de questionamentos sinceros sobre os desejos da moça (“como saber se o que ela quer é o que quer meu coração?”).

É apresentada, na letra, uma narrativa em que a representação da homoafetividade segue o esquema dramático de qualquer arranjo amoroso – com problemas, alegrias, perdas, rotina, ciúmes, ameaças.

É que em NAMORADINHA DE UMA AMIGA MINHA, o casal alvo é abordado no universo da normalidade (uma utopia discursiva patriarcaíca fincada na suposta verdade ontológica da hétero afetividade, em geral vedada ao casal gay), o que é um bom encaminhamento no plano da representação.

Emerson Leal - Namoradinha de uma amiga minha

E é sob a moldura de um pop-baião eletrônico (todo concebido, produzido e executado por Emerson Leal) que a voz que canta em NAMORADINHA DE UMA AMIGA MINHA ultrapassa a convencional postura masculina que não reconhece legitimidade em casais de mulheres, admite o desconcerto que seu afeto lhe causa (“meu desejo ardente me desalinha”) e mantém a prudência “pra não sair da linha”.

Por seu balanço irresistível, a canção tem tudo para ganhar as pistas de dança de todo o país; e deve também, por sua boa sacada, promover bons debates sobre o tema entre as pessoas interessadas nas formas cantaroladas do discurso.

Adriana Telles

Adriana Telles é Mestra em Letras e Lingüística pela Universidade Federal da Bahia.

Professora da Faculdade Social da Bahia, nos cursos de “Comunicação Social com habilitação em Jornalismo” e “Publicidade e Propaganda”, atua nas disciplinas Semiótica, Estética e Análise do Discurso. Telles também é musicista e compositora.

FICHA TÉCNICA

Produção, instrumentos (voz, vocais, guitarras, synths e programações), gravação, mixagem e masterização por Emerson Leal em São Paulo (SP)

Produção independente. Distribuição por Tratore.

Em seu novo single, NAMORADINHA DE UMA AMIGA MINHA, o cantor, compositor, instrumentista e produtor baiano Emerson Leal atualiza um famoso dilema amoroso cantado nos anos 1960 e dá pistas de uma nova fase em sua carreira.

E é sob a moldura de um pop-baião eletrônico (todo concebido, produzido e executado por Emerson Leal) que a voz que canta em NAMORADINHA DE UMA AMIGA MINHA ultrapassa a convencional postura masculina que não reconhece legitimidade em casais de mulheres, admite o desconcerto que seu afeto lhe causa (“meu desejo ardente me desalinha”) e mantém a prudência “pra não sair da linha”.

Por seu balanço irresistível, a canção tem tudo para ganhar as pistas de dança de todo o país; e deve também, por sua boa sacada, promover bons debates sobre o tema entre as pessoas interessadas nas formas cantaroladas do discurso.

Emerson Leal

Emerson Leal é cantor, compositor, instrumentista e produtor musical. Nascido em Salvador/BA, vive hoje em São Paulo/SP após residir por uma década no Rio de Janeiro/RJ, onde produziu seus dois álbuns de carreira [Emerson Leal, de 2012 e Cortejo, de 2016] e um EP ao vivo [Ao vivo no Rio, de 2018] .

Autodidata, encontrou os primeiros acordes do violão aos nove anos de idade.

Começou a se apresentar publicamente na adolescência, em eventos escolares; e já na Universidade (cursou Ciências Sociais na UFBA) passou a circular pela cena cultural de Salvador com sua banda, a Oda Mae Brown, da qual era cantor, guitarrista e compositor.

Nessa época começou a obter reconhecimento como autor, tendo canções premiadas em duas edições do maior festival universitário da Bahia, o UNIFEST), em meados dos anos 2000.

Em 2008, passou a morar no Rio de Janeiro, a fim de desenvolver seu trabalho solo e fazer novas conexões artísticas.

Em 2012 lançou seu primeiro álbum, homônimo, que trazia canções suas e compostas com antigos e novos parceiros, como Tom Zé e Luiz Tatit.

O disco gerou um show apresentado em diversos pontos do Brasil e também na Itália, em festivais do Sul daquele país.

Em 2016 lançou Cortejo, seu segundo disco, que trouxe a sua canção mais popular até então: “Vai que dá certo”, que logo passou a ser interpretada pela cantora Ana Carolina em seu show Ruído Branco e ganhou vários covers de internautas.

O show do disco “Cortejo” gerou o EP “Ao vivo no Rio”, gravado no teatro Sérgio Porto e lançado em março de 2018, que deu a Emerson Leal o reconhecimento como “a grande revelação de letrista na MPB atual”, em matéria de Thales de Menezes na Folha de São Paulo.

Emerson Leal – Namoradinha de uma amiga minha

Para ouvir a canção ☛ http://bit.ly/INEDITA_EmersonLeal

Para assistir o clipe ☛ https://youtu.be/gYF3GqdUmBM

Leia também Dicas de como utilizar o brinco Ear Cuff

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here