Poeta e artista plástico Felipe Turner lança “Caduceu”

Jovem e premiado escritor faz noite de autógrafos, na Livraria Cultura, de seu novo livro, uma viagem poética do Egito à Índia

Jovem e premiado escritor faz noite de autógrafos. Poesia onírica e com um toque de pop art. Esse é o clima de Caduceu (Editora Guismofews), livro que será lançado nesta quarta (21/08/19) pelo poeta e artista plástico Felipe Turner, na Livraria Cultura do Conjunto Nacional, em São Paulo.

O enigma já começa pelo título. Caduceu é uma figura formada por um bastão entrelaçado por duas serpentes e cujo significado remonta à Antiguidade.

O livro é composto por 25 poemas e 25 ilustrações, aquarelas feitas pelo próprio poeta e que precedem, como uma síntese, cada um dos poemas do livro.

Jovem e premiado escritor faz noite de autógrafos

As ilustrações do complementam e potencializam a força imagética da poesia.

Aos 27 anos, Felipe Turner, nascido em Campo Grande (MS), é artista de múltiplas vertentes expressivas, como literatura, artes plásticas e música.

Autor também de Sinfonia do Caos (2016), seu livro de estreia, sua poesia aborda como um caleidoscópio a pluralidade de óticas do mundo, num percurso entre o cósmico e o caótico.

O poema Sinfonia do Caos, que dá título à obra, foi premiado no Concurso Nacional Novos Poetas (2014).

Jovem e premiado escritor faz noite de autógrafos
Aquarela de Felipe Turner, que ilustra o poema “Magistério do Astral”, do livro Caduceu. O caduceu, figura formada por um bastão entrelaçado por duas serpentes, é um símbolo associado à Pedagogia. Crédito: Reprodução.

A exemplo de seu livro anterior, Caduceu promove um diálogo entre o celeste e sublime, entre o cosmo e o microcosmo, o Yin e o Yang.

Caduceu é também um diálogo entre escolas espirituais, um ensaio artístico sobre o movimento chamado hoje de Nova Era.

Caduceu é um símbolo astrológico muito antigo, que remonta há 2600 a.C.

É uma marca do deus grego Hermes (Mercúrio para os romanos_, o deus do lucro, das vendas e do comércio.

O caduceu simboliza a Contabilidade, mas também a Pedagogia. Cada parte do símbolo carrega um significado: bastão (capacidade dos profissionais), asas (duas): a presteza e o zelo e as serpentes (duas entrelaçadas no bastão): o conhecimento.

Caduceu é uma obra literária que contempla diversas linhas filosóficas, esotéricas e espirituais.

Uma viagem poética do Egito à Índia, do Vedanta à Fraternidade Branca. Assim como na Tábua de Esmeralda, o microscópico e o cosmo, o subjetivo e universal estão em constante comunicação.

Jovem e premiado escritor faz noite de autógrafos
Caduceu, livro do poeta e artista plástico Felipe Turner, que será lançado nesta quarta (21/08), em São Paulo. Crédito: Reprodução.

“Poesia, para mim, é a arte de compor uma experiência por meio da metáfora.

É a possibilidade de fornecer o acesso a uma sensação, atmosfera ou mundo para o outro passear.

É nesse jardim relativo da interpretação que a poesia acontece. Quando lemos poesia, a nossa voz dá vida aos versos e a forma como ela se manifesta quando evocada é sempre única.

A poesia possibilita experienciar o impossível, pelas veredas da poesia se chega onde os pés ainda não pisaram”, explica Felipe Turner, cujas inspirações ecléticas vão do pintor Salvador Dalí a poetas enigmáticos como o inglês William Blake e o persa Rumi.

Jovem e premiado escritor faz noite de autógrafos

Levando um exemplar do livro durante a sessão de autógrafos, os leitores ganharão também de cortesia uma impressão em fine art de uma ilustração com envelope personalizado.

Serviço

O quê: Noite de autógrafos do livro “Caduceu” (Ed. Guismofews), de Felipe Turner

Quando: Dia 21/08, às 19 horas

Onde: Livraria Cultura – Conjunto Nacional, piso térreo (avenida Paulista, 2073 – Bela Vista)

Leia também Jantar com as Estrelas novo programa de Andréa Nóbrega

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here