Jacques Pilon Residence: São Paulo ganha retrofit de empreendimento icônico no centro

Pelas mãos da TPA Empreendimentos, edifício histórico ressurge na região

A tradição da arquitetura clássica preservada na fachada e a potência do que há de moderno em decoração e instalações estão agora juntas num dos endereços mais relevantes do Centro de São Paulo.

Esta é a proposta do Jacques Pilon Residence, torre residencial na avenida Senador Queirós, 101, esquina com a rua Brigadeiro Tobias, que a TPA Empreendimentos entregou em abril.

Além de oferecer a beleza da fachada original assinada pelo arquiteto francês Jacques Pilon, a torre de 8 andares foi totalmente remodelada por dentro e agora dispõe de 161 studios confortáveis e funcionais (de 19,70 m² a 41,37 m²) e áreas comuns entregues equipadas e decoradas.

Amplos espaços de lazer, com destaque para o terraço lounge, oferecem aos usuários mais praticidade.

Locação

Para aproveitar todas as potencialidades do Jacques Pilon, a TPA inaugura parceria com a Q Apartments, uma das mais importantes empresas europeias que operam no mercado de locação residencial com serviços.

Segundo a Q Apartaments, o modelo adotado estima uma remuneração a partir de 0,8% ao mês.

Os investidores que adquirirem as unidades e quiserem colocá-las para alugar terão toda a experiência e estrutura da empresa ao seu lado.

Isso inclui um pacote de decoração padronizada, assistência jurídica, manutenção permanente e uma carteira de clientes corporativos que mantêm contratos globais com a Q Apartments, algo que as plataformas OTA (Online Travel Agencies, como Booking, Decolar e Airbnb) não conseguem entregar.

No Jacques Pilon, a Q Apartments também será responsável pela gestão condominial (recepção, manutenção e segurança, entre outros).

Retrofit

O edifício Jacques Pilon é histórico. Projetado na década de 1940, em uma época de mudança comportamental e cosmopolita inspirada em cidades como Nova Iorque e capitais europeias, tinha o desafio de abandonar o ar provinciano da cidade para assumir a modernidade da verticalização.

Batizado originalmente de Irradiação, o prédio tinha função comercial.

O projeto de restauro encomendado pela TPA e assinado pelo arquiteto Marcos Ferreira Gavião é mais do que simplesmente dar nova vida ao edifício batizado originalmente de Irradiação.

Para Gavião, o trabalho de modernização reflete o conceito de retroart. “O Centro é a origem da cidade; é cheio de edifícios que foram feitos em um momento muito rico de São Paulo; muito da história da arquitetura está lá.

O Jacques Pilon está entre os prédios importantes para a arquitetura e pode se tornar um exemplo de como é possível resgatar a história com qualidade, mas sem elitismo”, afirma.

Para Mauro Teixeira Pinto, sócio-diretor da TPA, a ideia é “resgatar com respeito e qualidade a exuberância do projeto de um dos arquitetos modernistas mais importantes do Brasil ao mesmo tempo em que inclui eficiência nos sistemas instalados”.

A troca dos caixilhos por modelos de alto índice de isolamento acústico é um exemplo.

Embora o atendimento à Norma de Desempenho (ABNT NBR 15.575) não seja necessário em uma obra de retrofit, a TPA decidiu usar dois tipos de caixilhos/janelas para garantir o bloqueio nos níveis de ruído, além de instalar portas e forro acústicos nos corredores.

Quem foi Jacques Pilon

Segundo perfil feito pelo blog A vida no Centro, Jacques Pilon é considerado um arquiteto à frente do seu tempo.

Entre as décadas de 1930 e 1960, o francês fez parte de um seleto e talentoso grupo de arquitetos que ajudaram a construir a história da cidade através de suas obras.

Junto de outros profissionais, ele passa a projetar edifícios verticais – escritórios e residências – que transformam a paisagem da região central da cidade.

Nascido em Le Havre (França), em 1905, Jacques Pilon fixa residência no Rio em 1933, trabalhando no escritório de Robert Prentice, renomado arquiteto escocês.

Em 1934 se mudou para São Paulo, se associou inicialmente ao engenheiro Francisco Matarazzo Neto, com quem fundou a PilmatPilon-Matarazzo Ltda – conhecida como Pilmat.

Entre suas criações estão o Edifício São Luís, na esquina da praça da República com a avenida Ipiranga, e a Biblioteca Mário de Andrade, na rua da Consolação.

No Rio, ele construiu o Edifício Chopin (década de 1950), inovando ao incluir janelas de vidro em toda a extensão do prédio, algo inédito na arquitetura de Copacabana.

Sobre a TPA

Fundada em 13 de dezembro de 1974, pelo engenheiro civil José Roberto Teixeira Pinto, a TPA Empreendimentos é a pioneira na aposta de renovação da região central de São Paulo. A construtora e incorporadora foi a primeira a voltar a construir prédios residenciais novos no centro da cidade e, hoje, já acumula 8 empreendimentos entregues e mais 2 em obras na região.

Ao longo da sua trajetória, a TPA soma mais de 1,5 milhão de metros quadrados construídos, entregando mais de 4.000 unidades residenciais e comerciais. Com uma estrutura experiente e eficiente, que permite resolver os problemas com muito mais agilidade, a TPA tem garantido total satisfação de seus clientes.

Ficha técnica:

Jacques Pilon Residence

Rua Senador Queirós, 101 – Centro

Área do terreno: 1,221 mil m²

Área total de construção: 6.869,55 m²

Torre: 1

Pavimentos: 8

Unidades: 161 (suítes de 19,70 m² a 41,37 m²)

Elevadores: 2

Realização e reforma: TPA Empreendimentos

Arquitetura original: Jacques Pilon

Projeto de restauro: Marcos Ferreira Gavião Arquitetos Associados

Arquitetura de interiores: Paula Andrade Guimarães

Assinatura TPA

Além do Jacques Pilon, a TPA responde pelos seguintes empreendimentos no Centro:

      Novo Centro Arouche (2007) – na avenida Duque de Caxias, com 240 unidades (50 m², 2-dorm.)

      Novo Centro República (2009) – na rua Major Sertório, com unidades de 37 m² a 100 m²

      Griffe 360º Pauliceia (2013) – na rua Santo Amaro, Bela Vista, 2-dorm., 78 m²

      Home Bikers (2014) – na rua Genebra, são studios de 28 m² no primeiro prédio sem vagas para carro e 100% vagas para bicicletas

      ampm Pauliceia (2014) – rua Brigadeiro Tobias, com studios e 2-dorm., 32 a 48 m²

      Sky Pauliceia (2015) – na rua Brigadeiro Tobias, studios de 30 a 83 m²

      Esquina Pauliceia (2018) – na rua Francisca Miquelina, Bela Vista, 1-dorm., de 16 a 31 m²

      Bandeira Pauliceia (em obras) – na rua Santo Amaro, Bela Vista, unidades modulares de 23 a 65 m²

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here