Show Estação Madureira do cantor Toninho Geraes

O cantor e compositor TONINHO GERAES apresentará seu show, na Sala Municipal Baden Powell  no dia 05 de julho/2018 às 20 horas.

1
798

O cantor e compositor TONINHO GERAES apresenta seu show ESTAÇÃO MADUREIRA 

O cantor e compositor TONINHO GERAES apresentará seu show, na Sala Municipal Baden Powell  no dia 05 de julho/2018.

Nesse show, Toninho Geraes apresentará seus grandes sucessos:

  • “Mulheres”, “Alma Boemia”, “Seu Balancê”, “Uma Prova de Amor”, “Mais Feliz”,
  • “Se a Fila Andar” além de composições do novo trabalho, “Estação Madureira”.

Não dá pra perder !!!

Estação Madureira – Toninho Geraes

Quando veio de Minas, lembrando um samba antigo de Xangô da Mangueira, Toninho Geraes trouxe ouro em pó em melodias e letras.

Mas o hoje consagrado autor de sambas cantados pelas rodas do Brasil afora não teve vida fácil, como a grande maioria de seus pares sambistas

. Tinha apenas 17 anos, muitos sonhos e dinheiro nenhum.

Sobreviveu pelas ruas até encontrar Laudenir Casemiro, o Beto Sem Braço, sambista do galho mais robusto da tamarineira do Cacique de Ramos.

Casemiro levou-o para a companhia de Zeca Pagodinho, Almir Guinéto, Jorge Aragão, Deni de Lima e outros.

No rastro desta turma, emplacou o samba “O rato roeu”, na coletânea “Na aba do pagode”, de 1986.

Era o começo da carreira de um dos compositores de maior sucesso da atualidade.

Autor de clássicos como:

  • “Me leva”, na voz de Agepê; “Seu balancê” e “Uma prova de amor”, gravados por Zeca Pagodinho;
  • “Mulheres”, que, em 1995, ganhou as rádios do país na voz de Martinho da Vila e impulsionou as vendas do disco “Tá delícia, tá Gostoso”.

O sambista hoje nos leva para uma deliciosa viagem a partir da “Estação Madureira”, seu quinto disco de carreira.

Ele é um nome forte, um canto com a junção dos sotaques brasileiros, um compositor com a marca de duas fundamentais matrizes do samba.

Não há roda em que seus sambas não sejam entoados em uníssono.

E não é só isso: Toninho Geraes é onipresente nos pagodes da cidade, figura popular e querida, e voz reverenciada, como uma assinatura, uma digital.

O expresso do samba, que vai de Madureira para a prateleira de cima de qualquer amante do gênero, tem o comando do jovem cavaquinista Alessandro Cardozo.

Ele também assina alguns arranjos, assim como Ivan Paulo e Jota Moraes.

Geraes dá a partida com “Laço da paixão”, uma das faixas com cara de hit.

A música com Paulinho Rezende – com quem fez “Alma boêmia”, sucesso de Toninho, regravado por Diogo Nogueira – traz imagens belíssimas, com a cara da dupla:

Show Estação Madureira do cantor Toninho Geraes

A parceria com Rezende apresenta “Doido por xodó”, com arranjo e acordeão de Kiko Horta; “Um amor só meu”; e “Mais feliz”, música romântica com a cara de Alcione.

Com Toninho Nascimento, Geraes nos presenteia com duas pérolas.

“Destino” é uma das faixas mais bonitas do disco, e é ele mesmo, o nosso destino, quem canta em primeira pessoa:

“Sou mesmo assim desde o tempo que o dia amanheceu/ Se Oxalá dá a vida pra quem vai caminhar/ Quem vai na frente riscando o caminho sou eu”.

Já “Aquarela da Amazônia”, uma brincadeira assumida com “Aquarela do Brasil”, de Ary Barroso, é um belo samba-enredo.

E só quem samba nesse bloco, como diz a letra, “É que entende porque foi que Chico Mendes amou este Brasil”.

Mas quem conhece Geraes sabe que com ele a fila anda.

Compositor inquieto, daqueles que sempre tem uma primeira parte de um samba na manga, ele abre seu leque de parcerias, dando vazão à sua criatividade.

Com Moacyr Luz, companheiro das segundas animadas do carioquíssimo Samba do Trabalhador, , ele assina a autobiográfica “A cara do Brasil”.

Os dois cantam juntos – os cantam um para o outro? – versos como “Já vivi de ocasião/ Já mudei de opinião/ Já fui pedra, fui vidraça/ Mas com raça, não fiquei no chão.

A cara dos dois.

A Bahia-Minas, estrada natural da música brasileira, é percorrida com o baiano Roque Ferreira, no resignado “Mágoa”.

Mombaça, se junta a Geraes para reclamar de uma mulher “Ingrata”. Já com Marujo, nosso sambista se deleita no apaixonado “Fragmentos”.

Outro bom momento é “Livro aberto”, parceria com Gilson Roque. Se houvesse um gênero samba-malandro, esse seria um bom representante.

“Você me considera assim/ Devasso e boêmio sem nenhum pudor (…)/ Mas você só me considera assim/ Por não ter me aprendido quando me estudou”.

Voz presente nas rodas de samba cariocas, Chico Alves divide com Geraes uma homenagem a Nelson Sargento, o grande baluarte Mangueirense, de autoria da dupla.

Chico também assina com Marco Pinheiro a única faixa não autoral do disco, o primoroso “Caninana”.

Toninho Geraes,  nas rodas, assim como neste mais recente trabalho, também se destaca como um ótimo intérprete de seus sambas.

Quem já viu nosso sambista ao vivo sabe do que estou falando.

( João Pimentel )

TONINHO GERAES no Show ESTAÇÃO MADUREIRA

Produção e Assessoria de Imprensa: João Luiz Azevedo

Sala Municipal Baden Powell

Av. Nossa Senhora de Copacabana 360 – Tel. (21) 2547-9147

Dia 05/07 – 5af 20h

Preço dos Ingressos: R$ 70,00 / R$ 35,00 ( meia )

Tempo de duração: 70 minutos

Livre para todas as idades

Gênero: Musical

Veja também: Lulli Chiaro e cantora teen Bia Jordão em novo CD

 

1 COMMENT

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here