THEATRO NET RIO E A PEÇA ‘A ULTIMA SESSÃO’

0
494

A ÚLTIMA SESSÃO, peça com texto e direção de ODILON WAGNER, estreou, para convidados da classe artística e da mídia, na noite desta segunda-feira (14/08), no Theatro Net Rio, em Copacabana. Vista por mais de 60 mil pessoas desde a sua primeira temporada, em 2014, no Teatro Frei Caneca, em São Paulo, o espetáculo tem o elenco formado por atores com grande experiência no teatro e TV.

A montagem fala do “novo velho”, que hoje vive uma vida produtiva, com alegria e desejos, e foi isso que a plateia viu no palco: com exceção dos atores Odilon e Tânia, os outros têm mais de 75 anos – e todos passam vigor por estarem atuando.

Na plateia, uma constelação de estrelas destacando-se Maitê Proença, Terezinha Sodré, Maria Pompeu, Tereza Amayo, Jarbas Fontinelle, Narjara Turetta, Simon Khoury, Rogério Reis, Sergio Fonta, Debora Falabella, João Luiz Albuquerque, Murilo Benício, Silvia Massari, Rosamaria Murtinho, Flavio Marinho, Gilberto Gravonsky, Jaqueline Lawrence e muitos outros.

Inspirado pelo desejo de ver um grupo de grandes atores da maturidade reunidos no mesmo palco, Odilon Wagner, que se dedica a este projeto há mais de cinco anos, escreveu e dirige a peça A ÚLTIMA SESSÃO. A primeira temporada do espetáculo ocorreu em janeiro de 2014 em São Paulo, no Teatro Frei Caneca.

O elenco é formado por atores que ajudaram a escrever a história do teatro e da TV brasileira: Suely Franco, Suzana Faini, Miriam Mehler, Odilon Wagner, Antônio Pitanga, Tânia Bondezan, Daisy Lúcidi, Rubens de Araújo e Regina Sampaio.

Odilon Wagner, aos 44 anos de carreira, coleciona em seu currículo 19 peças de teatro, 32 novelas e 14 filmes. Como produtor teatral, já montou 11 peças.

Em toda a minha carreira não me lembro de uma reunião semelhante. Conseguimos montar um grupo adorável e muito talentoso. Os ensaios têm sido uma experiência fantástica para todos os envolvidos. Estamos todos encantados com a energia, dedicação e profissionalismo do elenco”, conta Odilon.

Odilon Wagner sempre teve forte ligação com a maturidade e acredita que a dramaturgia e a teledramaturgia brasileira ainda produzem pouco para estes talentos. “Adoro o humor, a energia e o olhar investigativo deles. As histórias que vêm recheadas com um tempero imbatível”, conta o autor e diretor, que já trabalhou, entre outros, com Paulo Autran, Bibi Ferreira, Grande Otelo, Cleyde Yaconis, Flavio Rangel, Raul Cortez, Paulo Goulart, Nicete Bruno.Tive o privilégio de poder aprender com esses artistas maravilhosos que ajudaram a escrever a história do nosso teatro contemporâneo”.

A ÚLTIMA SESSÃO é uma história sobre o amor na maturidade, sobre a mudança de paradigmas em relação aos valores da (e na) maturidade. Escorado principalmente na força da interpretação e no magnetismo que o ator experiente pode oferecer, o espetáculo se constitui por embates de alta voltagem cômica e emocional.

SINOPSE

A história se passa durante o almoço de domingo no Clube Inglês, onde amigos entre 75 e 85 anos de idade reúnem-se semanalmente. Um grupo de amigos que convive com humor e picardia, até que um dos participantes, um ator amargurado com o rumo que sua vida tomou, resolve fazer um acerto de contas com os parceiros de jornada, inspirado em A Tempestade, de Shakespeare.

Verdades dolorosas misturadas a situações cômicas levam a inesperadas revelações e a um final surpreendente.

FICHA TÉCNICA

Texto e Direção: Odilon Wagner

Elenco: Suely Franco, Suzana Faini, Miriam Mehler, Odilon Wagner, Antônio Pitanga, Tânia Bondezan, Daisy Lúcidi, Rubens de Araújo e Regina Sampaio

Cenografia: Chris Aizner

Figurino: Beth Filipeck

Direção e Produção Musical: Swami Jr.

Desenho de Luz: Marisa Bentivegna

Direção de Produção: Ana Luisa Lima

Assessoria de Imprensa: JSPontes Comunicação – João Pontes e Stella Stephany

SOBRE O AUTOR

Com 44 anos de carreira, o artista paranaense Odilon Wagner já atuou em 19 peças de teatro, 32 novelas, 14 filmes e produziu 14 peças teatrais. Estreia como autor de teatro em “Família Muda-se”, em 2006. Entre os principais trabalhos em teatro, destacam-se,  “A Capital Federal de Arthur Azevedo,”, em 1973, “Tio Vania”, de Anton Tchekov, em 1975, “Navalha na Carne”, de Plinio Marcos, em 1980, “Filhos do Silêncio”, de Mark Medoff em 1982, “Traições” de Harold Pinterem 1983, “Um dia Muito Especial” de Ettore Scola em 1986, “Lilith a Lua Negra” , de José Possi Neto, em 1987 e “Família Muda-se”, de sua autoria, em 2006. Em TV, seus principais trabalhos foram nas produções da TV Globo: “Selva de Pedra”, em 1986, “Explode Coração”, em 1995, “Por Amor”, em 1997, “Terra Nostra”, em 1999, “Caminho das Índias”, em 2009, e a mais recente “Salve Jorge”, também da TV Globo, em 2013.  Sua mais recente direção teatral foi em “Como Ter Sexo A Vida Toda Com A Mesma Pessoa” – que também produz – espetáculo de  Monica Salvador, solo estrelado por Tânia Bondezan, de 2012.  Em cinema, destaque para, “Condenando a Liberdade” (direção: Emiliano Ribeiro), em 1999, “PAPÁ – Rua Alguém 555” (direção: Egidio Eronico), em 2001, “Lost Sweig” (direção: Sylvio Back), em 2001, “Sexo com Amor” (direção: Wolf Maia), em 2007, “O Vendedor de Passados” (direção: Lula Buarque)

 

De Luiz Carlos Lourenço

Fotos de AgNews e Alex Arant

 

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here